quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Um Ano Novo de muita prosperidade

Estamos nos despedindo de 2011 e abrindo os braços para a chegada de 2012. Planos, desejos e todos os objetivos que traçamos para dar uma reviravolta na vida começam antes mesmo do ponteiro indicar a virada. É hora de renovação, mudança e esperança.

Nessas horas, o que não faltam são mandingas, simpatias, rezas e pedidos. E, como não poderia deixar de ser, a gastronomia está presente mais uma vez.

Alguns ingredientes não podem faltar na mesa daqueles que ostentam patoás e não dispensam rituais e crenças populares. Então, preparem o fogão para garantir um 2012 próspero e, sobretudo, farto.
E o Mr. Lenha não fica de fora dessa festa. Selecionamos os ingredientes populares que, segundo os supersticiosos, são os mais poderosos.

Para começar, o arroz nosso de cada dia, que, quando utilizado no Réveillon, atrai riqueza, abundância e fertilidade. As lentilhas, as uvas e as passas são responsáveis pela boa sorte. As castanhas, nozes e avelãs, representam a fartura. As carnes de porco e de leitão, a saúde e a prosperidade. Já o peixe simboliza o amor, sabe-se lá o porquê!

Trate então de fazer uma ceia com todos esses ingredientes. Não deixe passar nada. Mas se, por um acaso, você esquecer algum deles, pode vir almoçar aqui conosco e degustar nossas receitas do bufê, que trazem tudo isso e muito mais.

Desejamos a todos, com ou sem simpatia, toda sorte, amor, paz e prosperidade em 2012. E sem fim do mundo, pelo amor de Deus!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Um passeio por Marche

Un'oasi di tranquillità tra le montagne e il mare


Os ventos do Mar Adriático levaram o Mr. Lenha à pacata região de Marche. Suas províncias, Ancona, Ascoli Piceno, Macerata e Pesaro Urbino, abrigam um povo tranquilo e hospitaleiro, acostumados à calmaria da agricultura e à paciência da pesca.

Dividida entre gigantescas montanhas, vales frescos, rios abundantes e um vasto litoral, a região semeia antigas tradições. As ruas e construções são frutos de influências bizantinas, francesas, germânicas e romanas. A natureza prospera com alegria. Abençoada por campos floridos, florestas de faia e belas praias aconchegadas por sua costa rochosa, Marche é um prato cheio para quem quer fugir da agitação.

As principais atividades da região são a pesca, a pecuária e a agricultura, características que refletem diretamente na gastronomia local. Não à toa, Marche é conhecida por oferecer a azeitona mais saborosa da Itália. E já que chegamos à parte mais saborosa da visita, vamos invadir a cozinha! 

Nas suaves colinas e frias montanhas, as carnes de porco, de boi e de cordeiro são a base da culinária. Mas ao chegarmos aos vales e ao litoral, a cozinha ganha outra cara, com ervas frescas e frutos do mar.

Agora, as casas coloniais abrem suas portas para o Mr. Lenha usar e abusar de suas receitas. São macarronadas, risotos, lasanhas e pães dos mais variados. De Marche, trouxemos influências diversas para os nossos pratos. Vamos aproveitar os sabores da região e nos deliciarmos com receitas preparadas de forma artesanal, como manda a tradição marchigiana.

A forte influência das colinas está presente no escalope ao funghi. O prato leva um suculento e macio filé mignon, coberto com molho de queijo ao fungh, acompanhado de arroz puxado no próprio molho.

Dos mares, praias e costas rochosas de Marche, selecionamos uma receita repleta de sabores marítimos: o capellini de frutos do mar, que leva uma massa fininha, preparada artesanalmente, salteada com camarões carnudos, lulas saborosas, polvo macio e tomates frescos cortados em singelos cubos. E para um perfeito sabor litorâneo, salpicamos ervas frescas.

Agora é só degustar com muita calma!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Feliz Natal!

As estrelas caíram do céu
Colorindo ruas, janelas, paredes e árvores
Com a suavidade do véu.
A cidade está iluminada,
A lua está brilhando
Aguardando a tão esperada data.
Os enfeites já foram preparados,
Os presentes embrulhados
E os abraços estão mais apertados.
Aqueçam os corações.
Foi dada a largada
Para um carrossel de emoções:
Peru, chester, pernil, fruta e rabanada.
Os sorrisos saem com facilidade.
Transbordamos de alegria e paz,
Espalhando para todos os cantos nossa felicidade.
É essencial amar o próximo,
Desejar um Feliz Natal de coração
E um ano de 2012 próspero.
Imaginem que maravilha seria
Se todos os dias e todas as noites
Fossem repletas das mesmas magias.
Os traços rabiscados no papel
Resultam numa linda poesia.
A visita do Papai Noel
Enche os olhinhos das crianças de alegria.
A mesma mão que desenha
Pode dar carinho.
Esses são os votos do Mr. Lenha.
Desejamos sinceramente
Que seja eterno todo este clima de amor natalino!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A globalização começou na cozinha

No século XIV, quando os mercadores percorriam o mundo, as especiarias eram suas moedas de troca. Ainda hoje, o leque de condimentos que as terras pelo mundo afora nos oferecem é impressionante. Podemos, inclusive, cometer a ousadia de afirmar, sem precisar defender tese, que a globalização começou na cozinha.

O açafrão e o azeite, ambos do Mediterrâneo europeu, eram trocados por pimenta, mostarda, curry e gengibre, vindos da Índia. Os comerciantes muçulmanos, por sua vez, trocavam as iguarias com indonésios, egípcios, chineses e retornavam para a Europa com muitas novidades. Noz-moscada, cravo-da-índia, canela, anis, coentro e tantos outros condimentos se espalharam pelo mundo através das rotas das especiarias. Mais tarde, atravessaram o oceano Atlântico para chegar às Américas. Antes mesmo do facebook, do Twitter ou do youtube, as receitas já serviam de intercâmbio cultural, encurtando as fronteiras, desbravando terras, mares e oceanos.
Receitas e temperos também correram o mundo, ganhando adaptações, com adição de outros sabores. Nasciam os pratos exóticos, originais, típicos, diferentes, que agradariam todos os gostos, credos e culturas.
Aqui, na cozinha do Mr. Lenha, as especiarias transformam uma simples receita em uma iguaria deliciosamente cosmopolita. A globalização percorreu a história de navio, de carroça ou mesmo no boca a boca, até chegar à perfeição gastronômica.
No nosso cardápio, o sabor da pizza Genovese acompanha uma massa cheirosa e macia que ganhou fama na Itália, mas nasceu na China há mais de 7 mil anos. O tomate, originário das montanhas peruanas, se transforma em um saboroso molho de tomate artesanal e é derramado sobre a massa. A farta cobertura fica por conta do suculento queijo mozarela, de origem italiana. As finas fatias de lombo canadense acrescentam o irresistível sabor à pizza. O alho poró contempla, com maestria, os sabores mundiais da nossa pizza. Vindo do Egito, o tempero carrega um tom mais suave, delicado e doce do que o da sua “irmã”, a cebola. Acrescentamos ainda o legítimo catupiry mineiro, ligeiramente salpicado de orégano mediterrâneo.

Definitivamente, o mundo se encontra na cozinha enquanto você viaja pelos sabores globais com uma simples garfada. Aproveite!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Um passeio por Úmbria

Terra d'arte, la religione e cucina


Permeada por colinas doces e meditativas, a região de Úmbria, no centro da Itália, é a mais nova etapa dessa viagem que o Mr. Lenha faz por todas as regiões da Itália. Vamos viajar por construções medievais e patrimônios artísticos riquíssimos.

Composta pelas províncias de Perugia e Terni, Úmbria possui numerosas cidades históricas que atraem visitantes ávidos por enriquecimento cultural e humanístico. O cenário é fascinante. Cidades inteiras cercadas de rústicos muros e construídas sobre as calmas colinas que, em contraste com os bosques coloridos, vinhedos e oliveiras, encantam os olhares e transbordam poesia. Não é à toa que a região, há séculos, serve de inspiração para tantos artistas.

A localização - entre os principais pólos artísticos, Lázio e Toscana - fez com o que a região de Úmbria se tornasse referência na arte da pintura, sendo berço de grandes talentos, como Giotto de Bondone, que pintou os afrescos da Basílica de São Francisco de Assis. Mas a região não foi berço só de artistas.

A religião católica está fortemente presente em Úmbria, que foi a pátria de venerados santos como São Francisco de Assis, Santa Clara e Santa Rita de Cássia. As suntuosas igrejas são paradas obrigatórias para os visitantes e completam a paisagem urbanística com edifícios neoclássicos.

Se Úmbria manteve intacta suas muralhas medievais, a cozinha também conservou a tradição e as características do período pré-românico. Fechada entre as montanhas, os habitantes da região souberam conservar a forma original das técnicas de cozimento das receitas. Seja no espeto, na grelha ou no forno, os úmbrios deram continuidade à cocção típica da Idade Média.

A culinária de Úmbria explora pratos à base de azeite, presunto, alcaparra, vinagre, azeitonas, cebola, alho e ervas. A cozinha é simples, bem temperada e muito saborosa.

E é lógico que nós, do Mr. Lenha, não deixaríamos essa região tão tradicional passar despercebida do nosso livro de receitas. Exploramos sempre o que a Itália tem de melhor. E da região de Úmbria, por exemplo, trouxemos os temperos e molhos artesanais. Nossos pratos se encheram de cores, aromas e sabores em perfeita harmonia para despertar seu apetite.


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

As sete maravilhas



Há muitos anos, um poeta grego chamado Antíparo de Sídon, escreveu sobre sete estruturas do mundo. Ele citava extraordinários monumentos erguidos pela mão do homem. A riqueza de detalhes e a magnitude das obras fascinavam. Essas construções majestosas ficaram conhecidas como “As sete maravilhas do mundo”.

Vamos então, junto com o  Mr. Lenha, passear por cada uma dessas belezas:

O túnel do tempo nos leva à Mesopotâmia, onde se encontravam os Jardins Suspensos da Babilônia, levantados pelo rei Nabucodonosor II em homenagem à mulher, Amitis. A próxima parada, Constantinopla, nos mostra  a Estátua de Zeus, construída em marfim, ouro e pedras preciosas. O Templo de Artemis, erguido para a deusa grega da caça e protetora dos animais, foi o maior monumento da Antiguidade. Alguns vestígios de suas ruínas ainda podem ser encontrados hoje na Turquia.

Outra maravilha é o Mausoléu de Halicarnasso, um suntuoso túmulo para rainha Artemísia II. Ainda restam alguns pequenos fragmentos do Mausoléu no Museu Britânico, em Londres. Já na Grécia, encontramos o Colosso de Rodes, uma gigantesca estátua do deus Hélio forjada em bronze.

No Egito, o Farol de Alexandria, construído em mármore, foi o último dos monumentos destruídos. Ele caiu após um terremoto em 1375. Suas ruínas foram encontradas somente em 1994. Nossa última parada é ainda no Egito, palco da mais antiga e enigmática de todas as maravilhas: a Pirâmide de Quéops, a maior das três Pirâmides de Gizé. A megalítica construção se mantém intacta até os tempos atuais.

Inspirados pela grandiosidade das construções selecionadas por Antíparo de Sídon, escolhemos as sete maravilhas do Mr. Lenha. Vagamos por cada detalhe do restaurante e selecionamos o que faz de nós um ponto de encontro, onde se reúnem beleza, aroma, sensibilidade, sutileza sonora e, sobretudo, sabor.

A primeira maravilha é o nosso ambiente: intimista, acolhedor e aconchegante, traz nas paredes, adornadas em madeira, quadros abstratos contemplados com iluminação à meia-luz. A segunda é o requisitado forno à lenha, o coração do restaurante. As chamas que ardem em seu interior exalam sobre a massa os vapores aromáticos, impregnando um leve sabor defumado.

As massas não poderiam ficar de fora. O carro-chefe do Mr. Lenha é apresentado nos mais variados formatos e sabores. Nosso bufê também está entre as maravilhas escolhidas. São opções diferentes todos os dias. Já a quinta é a nossa bruschetta. O antepasto, servido quentinho, é preparado sobre um pão italiano fresco e crocante, banhado no azeite, com tomates em cubos, alho e manjericão. Os paninis, sanduíches tipicamente italianos, também estão presentes na nossa concorrida lista. As iguarias são servidas em quatro sabores diferentes. Difícil é escolher!.

E a nossa sétima maravilha são as deliciosas pizzas. Dentro do forno à 550°C, a redonda fica pronta rapidamente. A massa, farta e dourada, seduz só de pensar. Imagine, então, ao provar! A textura, crocante por fora e macia por dentro, é somente uma das armas de sedução somada ao molho de tomate, à generosa camada de queijo derretido e ao delicado salpique de orégano. São 30 versões, que vão do tradicional ao exclusivo, passando por sabores doces e exóticos.

Pois bem, essas são as nossas sete maravilhas, as sete maravilhas do Mr. Lenha. Venha conhecer e se apaixonar!


quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Criatividade à mesa

Se há algum limite para a criatividade humana, ele ainda não foi descoberto. Podemos chamá-la de “a mola mestra do mundo”, responsável pelas obras de arte mais belas e consagradas. Pintura, música, dança, futebol, poesia, arquitetura, cinema, teatro e propaganda, tudo o que se imagina - e mais um pouco - leva a assinatura da criatividade.

O pincel passeia pela tela, transportando, em traços e cores, os sonhos do pintor. Os instrumentos acompanham cada letra de uma bela canção. As palavras se unem à mente do poeta para trovar os sentimentos. Os pés parecem flutuar sobre o palco, nos mais suaves movimentos do balé. Nesse ritmo, nascem gênios como Niemeyer, Chico Buarque, Einstein, Da Vinci, Freud, Drummond entre tantos outros. E assim a criatividade movimenta o frenético motor do planeta.

Mas é na cozinha que duas vias distintas se completam: o visual e o paladar. Sim! Quando a gastronomia e a criatividade se encontram, pode ter certeza de que coisa boa virá. E sabe aonde eles marcaram um encontro? Na nossa cozinha.

A criatividade está presente nas receitas exclusivas do Mr. Lenha. Uma das nossas maravilhas é o suculento medalhão de filé mignon com molho roti derramado sobre pedaços de carne, pimentas verdes e uma massa tagliatelle artesanal com um excêntrico molho de limão siciliano.

Uma viagem por Portugal e Itália fez nascer a deliciosa pizza Rústica. A perfeita combinação de presunto de Parma, rúcula e queijo grana padano surgiu após uma reunião em família regada aos ingredientes dessa pizza e acompanhada de figos verdes. O suave sabor fresco e frutado do queijo grana padano combina perfeitamente com a textura macia do presunto de Parma e do leve amargo da rúcula.

Na arte da gastronomia, a criatividade revela os sabores mais sublimes, capazes de deixar o paladar em estado profundo de adoração. Então, dê asas à sua imaginação e venha conhecer os nossos pratos!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Um passeio por Lazio

Cuore del vecchio stivale


As portas de Lazio se abrem para o deslumbre dos nossos olhos. Acrópoles suntuosas, igrejas ricas em afrescos e fontes barrocas dão as boas vindas à região, berço do Império Romano. O Mr. Lenha acaba de embarcar numa viagem ao coração da Itália.

As mais belas construções italianas estão em Lazio, situadas principalmente na capital Roma, palco do Coliseu e da Fontana di Trevi. Mas as heranças medievais, barrocas, renascentistas e românticas se espalham também pelas províncias de Frosinone, Latina, Rieti e Viterbo. A paisagem local fascina tanto quanto as megalíticas construções. Formado por vastas praias, colinas de calcário, profundos desfiladeiros, vegetação baixa e verdejante, bosques de pinheiros, rasas planícies e pântanos, a região se divide entre a natureza exuberante e o cenário urbanístico.

Grandes nomes deixaram sua marca na região. Cícero, Marco Aurélio, Sêneca, Epicuro e Boécio fazem parte da rica galeria de personalidades de Lazio. São 3000 anos de história romana que contribuíram para glamorosos cenários arquitetônicos rústicos. O visitante respira cultura.

Mas os museus, as igrejas e as obras-primas também cedem espaço para uma arte que atrai ávidos admiradores, a gastronomia. Os suaves campos permitem que a agricultura se desenvolva, fornecendo alimentos frescos e matérias-primas de qualidade ímpar.

São cereais, frutas, videiras e oliveiras, além de criações de suínos, bovinos e ovinos, que dão consistência à forte economia e opções para a deliciosa culinária. E por falar na cozinha, que tal viajarmos pela parte mais saborosa de Lazio?

O centro político do país é também o ponto de encontro das receitas típicas do norte e do sul da Velha Bota. A gastronomia é regida pela pizza, risoto, carpaccio, espaguete, saltimboca, bruschetta e, se for possível, sempre com muito molho de tomate. Já para adoçar o paladar, é impossível visitar a capital Roma, sem experimentar o sorvete, conhecido como gelato.

Pois bem, conceda ao seu paladar um passaporte gastronômico direto para as cozinhas de Lazio. Nossas receitas, do Mr. Lenha, é claro, fazem você viajar à bela região italiana numa única e sofisticada degustação. As massas frescas, macias e saborosas deixariam até o mais exigente romano apaixonado. Complete, então, com os suculentos e temperados molhos quatro queijos, bolonhesa, rabiatta, pesto e carbonara. Ao final da última garfada, nós trazemos você de volta. Mas que tal fazer essa ponte aérea todos os dias?    

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Tempo

A linha que separa os sentimentos de amor e ódio em relação ao tempo é tênue. Somos escravos do tique-taque do relógio, e os ponteiros conduzem todas as ações do dia a dia.

Muitas vezes, pedimos para o tempo passar mais rápido. Outras vezes, caímos em contradição e gostaríamos que ele parasse. Quebrar o relógio até que poderia ajudar nesse caso. Mas o tempo não pararia. Pelo contrário. Seria desperdiçado. E ele é um bem tão precioso que não devemos abrir mão.

Mas esse tempo, misterioso e contraditório, nos reserva também verdadeiras delícias gastronômicas, que resistiram aos anos, aos séculos e aos milênios para saciar o nosso desejo presente. O tempo nos traz, de um período longínquo, receitas que se renovam entre as paredes da nossa cozinha todos os dias.

A gastronomia acompanhou a humanidade e percorreu os longos caminhos da história. Os primeiros passos foram percorridos já pelo Homo Sapiens, que caçava animais terrestres, aves e peixes para se alimentar. Mais tarde, há aproximadamente nove mil anos, os chineses prepararam as primeiras massas e, no mesmo período, os primeiros grãos de arroz eram colhidos. Na Itália do século XVI, os tomates começaram a ser misturados à massa. E, na França do século XVII, o rei Luis XIV criou uma ordem de apresentação dos pratos à mesa, começando pelas sopas, passando pelas entradas, seguidas dos assados e saladas e, por fim, as sobremesas.

Se Chronos, Deus do tempo na mitologia grega, tem mesmo o poder de controlá-lo, soube distribuí-lo muito bem. Presente na música, na literatura, no cinema, na gastronomia, nosso tempo é cada vez mais escasso e precioso. Mas, ainda assim, esperamos 30 meses para o saboroso presunto de Parma curar para podermos consumi-lo.
Mas e aquele breve tempo de espera num restaurante, após fazermos o pedido? Parece uma eternidade! A fome aumenta conforme o prato se aproxima: um panini, típico sanduíche italiano, preparado com fatias finas de presunto Parma, uma saborosa e macia camada derretida de mozarela de búfala, tomates suculentos cortados em cubos e uma aromática folha de manjericão. O perfume da massa fresca e quentinha, preparada no forno à lenha, se espalha pelo salão e seu poder de sedução paralisa o exato instante da degustação.

Tão poderoso a ponto de acelerar ou reduzir a velocidade ao seu bel prazer, o tempo simplesmente se paralisa para contemplar cada mordida no panini. E então, não perca mais tempo. Venha logo conhecer as maravilhosas receitas do Mr. Lenha.

Depois, não adianta reclamar que continua perdendo tempo!             

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O almoço

As doze badaladas anunciam que a hora mais saborosa do dia chegou. Os ponteiros convidam o apetite para uma refeição das mais deliciosas. Sozinho, acompanhado, em família, com os colegas ou com os amigos, o almoço é parada obrigatória.

Diariamente, surgem inúmeras opções, desde o tradicional arroz com feijão à colorida culinária japonesa. No bufê do Mr. Lenha, os dias contam histórias com receitas diferentes e transbordam sabor.

Nas segundas, o camarão é a estrela. São diversas opções especiais à base do crustáceo. Já nas terças, nossas massas artesanais ditam o saboroso ritmo do almoço. Quarta é a vez da exuberante culinária nipônica entrar em cena. A quinta é o dia das variedades, com uma verdadeira miscelânea gastronômica. E na sexta, a feijoada encerra a semana com chave de ouro. Cada dia conta ainda com um bufê tradicional à base de saladas, peixes, massas, arroz, feijão, aves, frutos do mar, risotos, além do cardápio à la carte. Difícil escolher, né?

As opções são tão deliciosas que, lá do alto, o Sol consegue sentir o suave aroma inebriante de nossos pratos. O Astro-Rei se posiciona estrategicamente para admirar as receitas. Nessas horas, ele sente uma pontinha de inveja por não poder descer para degustar nossas iguarias. Sorte a nossa!

E você, vai almoçar aonde?

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Um passeio por Abruzzo

La cucina speziata della montagna
 

Durante milênios, os ventos do Mar Adriático cortaram suas gélidas montanhas. A natureza desenhou picos e agulhas de cristal que montam o vasto litoral dessa terra de relevo irregular. Estamos falando de Abruzzo, região localizada no centro-oriental da Itália, que recebe a visita do Mr. Lenha para uma viagem, no mínimo, incomum.

O território curioso apresenta uma realidade distinta. Um contraste cultural, social e econômico de difícil compreensão. Para começar as tórridas diferenças, vale destacarmos que as terras do norte são populosas e urbanizadas. Já as do sul, conhecidas na Europa como “a região dos parques”, possuem campos silvestres e densas florestas protegidas por lei. E não para por aí! As províncias litorâneas de Teramo, Chieti e Pescara são ricas e modernas, enquanto a capital L’Aquila é renegada economicamente, mas carrega uma bagagem cultural fortíssima.

A capital é o cordão artístico de Abruzzo. A tradição, a sabedoria e as manifestações populares atraem pessoas de todo o mundo para a província. Os imponentes castelos, igrejas e monastérios seculares, os esplêndidos monumentos civis, religiosos, medievais e renascentistas, formam uma gama de surpreendentes tesouros arquitetônicos.

Toda festividade e calor humano se opõem ao clima predominantemente frio que desce pelas ladeiras verticais das montanhas. E é justamente dessa rigorosa e frígida temperatura que nasceu a fama da população de ser “diabolicamente picante”. Não entendeu? Então nós vamos explicar.

A gastronomia da região, apesar de ser bem simples, traz um ingrediente especial para aquecer o clima e a alegria das pessoas: a pimenta. Não, nós não estamos no México, estamos numa região montanhosa da Itália.

Os pratos do litoral levam peixes e, mais adentro, quem reina são as carnes vermelhas. Sempre com muita pimenta. Então, nada melhor que atravessar os mares e oceanos para trazer ao Brasil uma receita que aqueceria os mais friorentos habitantes de Abruzzo.

Um medalhão de filé mignon macio e suculento chega exalando um suave aroma. O molho roti, derramado sobre os pedaços de carne, acentua o cheiro, enquanto as pimentas verdes dão a ardência necessária para tornar a receita irresistível. Mas ainda não acabou! O prato recebe a companhia de uma massa tagliatelle artesanal com um excêntrico molho de limão siciliano.

Depois desta viagem eu posso sugerir um babador e um casaco?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Do mar para mesa

Incompreendidas e instáveis. Ora agitadas, ora calmas. Do dilúvio à tranquilidade de uma pescaria, as águas são responsáveis por belezas, por histórias e por tragédias das mais variadas.

Na religião, na mitologia ou no folclore, nos deparamos com Nossa Senhora Aparecida, Iemanjá, Vishnu, Oxum, Sarasvati, Peneus, Sulis, Enki, Poseidon e sereias. Lendas e mistérios como a do boto cor-de-rosa, que surge, nas noites de lua cheia, das margens do rio Amazonas na forma humana para seduzir e engravidar as mulheres. Mitos e divindades das águas que permeiam e intrigam o imaginário popular.

Da doce liquidez da melancia, passando pela força das cachoeiras até as bravas ondas dos mares, é impossível não nos encantarmos com os segredos revelados pela imensidão azul. Mas que tal falarmos de gastronomia, passeando pelas comidas trazidas pelas marés e correntezas?

Os barcos partem em busca do tesouro. Um tesouro pra lá de saboroso. Não estamos falando de piratas, mas sim de pescadores! Os oceanos, os mares, os rios e as lagoas nos presenteiam diariamente com as mais deliciosas iguarias.

Aqui, no cardápio do Mr. Lenha, há diversas opções vindas das profundezas dos oceanos. São lulas, mexilhões, polvos, camarões, siris e uma variedade de peixes frescos que tornam as nossas receitas um tentador convite ao pecado da gula.

O nosso capellini, por exemplo, chega à mesa salteada com camarão, polvo e lula com tomates cortados em cubos. Há também o salmão grelhado ao ponto, acompanhado de risoto de limão siciliano, refogado na manteiga, com vinho branco, creme de leite e parmesão. Isso sem falar do dia em que o bufê é preparado exclusivamente para os amantes de frutos do mar, com receitas que fazem os piratas tirarem os chapéus e os tapa-olhos, só para não perder de vista nenhum detalhe das iguarias. Abra o cardápio e escolha o seu prato preferido!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Uma deliciosa mistura gastronômica

O glamour com o exótico. O doce com o salgado. O azedo com o amargo. O requintado com o popular. Com amor e criatividade, as misturas de sabores podem ir mais longe do que se imagina. Viaje conosco nesta harmoniosa mescla de sabores.

O ritmo que rege as cozinhas de todo o mundo ditam uma verdadeira miscelânea gastronômica. Pode ser na culinária italiana, francesa, brasileira, japonesa, mexicana, tailandesa, alemã ou chinesa, a mistura gastronômica sempre estará presente nem que seja no menor detalhe.

Essa interação vai muito além da troca de receitas. Há um forte intercâmbio cultural com ingredientes que saem de diversos países e se encontram na cozinha.

Vamos aos exemplos! Que tal a tradicional culinária italiana? As receitas da Velha Bota, consagradas e adoradas pelos quatro cantos, trazem influências dos germânicos, dos bizantinos, dos normandos, dos gregos, dos espanhóis, dos fenícios, dos árabes, dos africanos, dos cartagineses, dos godos e, por fim, dos romanos. Ufa, acabou! E por que não falar da brasileira? Dentre as nossas influências, fomos agraciados com traços da gastronomia africana, portuguesa e indígena! Para ir mais além, fomos nós, brasileiros, que introduzimos a fruta na comida. Uma herança dos índios que se espalhou pelo mundo.  Hoje, até os rígidos e metódicos japoneses colocam fruta na comida. Coisa nossa!

Agora, que tal viajarmos pelo nosso cardápio? Aqui no Mr. Lenha a mistura está presente em grande estilo. Quando se mescla o Brasil com a Itália, o resultado é um delicioso risoto de jabá com jerimum. Mas nós não paramos por aí! Da França, trouxemos o queijo brie para contracenar com o panini, tradicional sanduíche italiano, e com o risoto de camarão. São pratos que fazem da cozinha o ponto de encontro entre culturas, línguas e segredos... culinários, claro!

Mr. Lenha na mídia


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Um passeio por Molise

Piccola e tradizionale

A pequena região de Molise, na Itália, guarda uma antiga e rústica aparência. E é por aqui que o Mr. Lenha acabou de atracar nessa segunda-feira. Uma terra caracterizada por castelos, lugarejos e cidadelas enraizadas nos cumes dos outeiros.

Para todo lugar onde se olha, é possível notar os traços da arquitetura medieval misturados às influências artísticas e culturais das regiões vizinhas de Lazio, Campânia, Abruzzo e Puglia. A população esbanja tranquilidade, simpatia e hospitalidade. Os grandiosos castelos contrastam com os labirintos de suas ruas. Uma gostosa viagem ao século XVI.

Dividida somente por duas províncias, Isérnia e Campobasso, Molise apresenta relevos e climas dos mais variados. Ao descer pelas frias montanhas, vagamos pelo clima ameno das colinas até chegarmos às calorentas planícies litorâneas do Mar Tirreno. É impossível não se apaixonar por esse charmoso e pequenino pedaço de terra!

Ao colocarmos em uma panela a miscelânea climática, a influência dos vizinhos, a vocação agrícola e os costumes do passado, o resultado é um delicioso prato bem temperado com aquele gostinho de antigamente. Essa é a gastronomia molisani: sabores fortes, perfumes vivos e a força vinda da simplicidade na preparação das massas. As mais antigas receitas regionais são conservadas pelas tradições gastronômicas que utilizam os mesmos ingredientes e fragrâncias de tempos longínquos.

Vamos então aproveitar esse verdadeiro mosaico gastronômico para enriquecer o nosso cardápio. Experimente o sabor rústico de Molise, que alia massa, vinho, tomate, alho, pimenta e ervas aromáticas. Em meio às pizzas, bruschettas, focaccias, calzones, cornicciones, pennes, tagliatelles, espaguetes, nhoques e paninis, existe uma massa fininha, chamada capellini. Vamos prepará-la de forma artesanal, salteando com frutos do mar e tomates frescos cortados em singelos cubos, sem deixar de lado as ervas, o azeite e o alho. Um convite irresistível ao pecado da gula. Esse Mr. Lenha!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Viva o trigo!

Há muitos e muitos séculos, quando as primeiras plantações de trigo cresciam nos vales chineses, as massas davam seus primeiros passos na história da gastronomia. Foi por volta do ano 7000 a.C. que o homem e o cereal cruzaram seus caminhos na agricultura.

A partir desse encontro, os grãos do trigo foram separados dos outros cereais e depois moídos. A farinha foi amassada e misturada à água, dando origem a uma massa fina, que era posta sobre uma pedra quente e aquecida. A evolução dessa massa, através dos tempos, nos rendeu histórias para lá de saborosas.

Hoje, quando a massa quentinha sai do forno à lenha, exalando aquele cheiro característico, não há quem resista. Seja pizza, bruschetta, focaccia, calzone, corniccione, penne, tagliatelle, capellini, espaguete, nhoque ou panini, desse assunto nós entendemos muito bem!

O árduo processo de misturar, amassar, empurrar, apertar, amaciar, enrolar, sovar, abrir e modelar deixa a massa fresca com um sabor caseiro inigualável. Permita então que nossas deliciosas receitas satisfaçam o seu desejo de degustar um produto totalmente artesanal.

A pele arrepia, os olhos se fecham e os ouvidos se paralisam para que somente dois dos cinco sentidos do corpo humano funcionem nesse momento sublime: o olfato e principalmente o paladar. Mas acorde, não é um sonho! É o nosso cardápio. Bem vindo ao Mr. Lenha!

Essa é a nossa homenagem ao Dia do Trigo!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Eu quero sorvete!

Um doce gelado e cremoso, que derrete lentamente levando seu paladar a uma sensação das mais indescritíveis. As crianças adoram, os adultos também! Creio que todos nesse mundo. Ou será que alguém não gosta de sorvete?

Dúvida mesmo só na hora de escolher o sabor: o rosa do morango, o marrom do chocolate, o amarelo do creme ou o branco do coco? Na cumbuca, no prato, na casquinha ou no palito? Faça o seu pedido!

Além de ser uma das mais irresistíveis sobremesas, o sorvete é bastante versátil. Combina com frutas, bolos, castanhas, chantilly, marshmellow e até com outros sabores. Presente nos sonhos mais açucarados, a guloseima certamente nasceu para ser amada e devorada.

E para deixar suas papilas gustativas em ponto de ebulição, o Mr. Lenha apresenta uma de suas mais saborosas receitas: duas bolas cremosas de sorvete de creme contrastando com uma banana de polpa doce e macia, recém saída do forno à lenha, acrescida de canela e açúcar. Um aroma irresistível exala pelo salão, enquanto o gelado derrete lentamente sobre a fruta. Vamos colocar ainda duas cerejas por cima. Pronto. Você já pode ir ao Nirvana!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Um passeio pela Campânia

Saporoso i originale

O navio do Mr. Lenha acaba de aportar na Campânia, região da Itália que, de ponta a ponta, carrega um ar de fascínio e sedução, atraindo visitantes de todo o mundo. Banhada pelo mar Tirreno, foi presenteada pela natureza com ilhas, golfos, planícies, montanhas, além de um litoral exuberante.

Sua história é permeada pela influência de vários povos, como os romanos, normandos, bizantinos e espanhóis. Uma diversidade que salta os olhos, representada na arquitetura e na produção artística. Do medieval à Renascença, a vasta cultura campana apresenta nuances bem particulares, deixando a impressão de que, por mais que se esmere em conhecê-la, ainda haverá muito mais a se desvendar.  

A festiva e acolhedora comuna de Nápoles, capital da Campânia, contagia todas as vizinhas. Seja em Avellino, Benevento, Caserta ou Salerno, o alto astral é marca registrada do povo local. As pessoas não param em casa. As ruas, cheias e agitadas, possuem um charme especial. Por um momento de mera distração do visitante, é possível imaginar-se na Itália de décadas atrás. Um patrimônio riquíssimo a céu aberto.   

O estado de graça típico do povo da região refletiu na mais criativa e original cozinha italiana. Berço da famosa dieta do Mediterrâneo, Campânia foi palco da criação culinária mais famosa da Velha Bota. No ano de 1889, um famoso pizzaiolo napolitano criou a adorada e reverenciada pizza Margherita, produzida com as cores da bandeira italiana, em homenagem a rainha Margherita di Savoia.

E o melhor você ainda não sabe. Os segredos mais saborosos da cozinha campana foram revelados ao Mr. Lenha. Reproduzimos, com perfeição, suas deliciosas receitas. A tradicional pizza Margherita, por exemplo, é tratada como uma verdadeira rainha. A massa artesanal, farta e macia, vai ao forno à lenha coberta por uma generosa camada de mozarela fresca que dissolve na boca. Tomates vermelhos e suculentos são cortados em rodelas e postos sobre a redonda juntamente com folhas aromáticas de manjericão.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Era uma vez numa noite de Halloween

O Mr. Lenha aproveita o Dia das Bruxas para acender uma lareira sob a luz do luar e contar uma história que ocorreu há muito tempo, numa noite de Halloween...

Era uma vez Antero, sujeito pacato, cortês e de uma sensibilidade fora do comum. A não ser pelo fato de que odiava imensamente o Dia das Bruxas. Dizia que essa data era mais uma bobagem importada dos Estados Unidos e que deveria ser proibida por aqui.

Para o seu azar, ano após ano, crianças fantasiadas das mais diversas figuras de horror o visitavam insistentemente pedindo guloseimas com aquela pergunta já habitual: “Doces ou travessuras”? Antero sempre recepcionava as “criaturinhas” da pior maneira possível. Ele se transformava e não lembrava, nem ligeiramente, o gentil cavalheiro que abria a porta do carro para as damas e que cedia seu lugar no ônibus aos idosos.

Mas, de repente, não mais do que de repente, um acontecimento macabro passou a acompanhar o jovem mancebo e um 31 de outubro passou a figurar, por um bom tempo, em seus pesadelos mais profundos.

Era noite de Halloween e os pequeninos agitavam as ruas do Jardim Oceânico pedindo doces. Até que um grupo de meninos cometeu um erro muito grave: bateram na porta do amargo Antero a fim de pedir doces. Furioso e sem suspeitar o que sua atitude acarretaria, além de não atender o pedido da garotada, para piorar, soltou seus cães que, sem cerimônia, os expulsaram de seu quintal.

O que Antero não poderia esperar era que certos atos cometidos numa noite de lua cheia poderiam acarretar consequências terríveis. Ao fugir dos cães mordazes, um dos “monstrinhos”, num misto de medo e raiva, proferiu o seguinte desejo: “Como eu gostaria que aquele homem se transformasse num ser horripilante!”. Mal sabia o menino que suas palavras teriam força sobrenatural.

A partir desse episódio, em todo dia de Halloween, ao romper a noite, o pobre Antero passou a sofrer uma desagradável mutação, transformando-se num ser assustador. Durante muitos anos, esse homem ficava aterrorizado com a proximidade do mês de outubro.
  
Até que, por obra do destino, Antero, buscando abrigo num forte temporal, entrou no Mr. Lenha. Ele ficou seduzido pelas opções do cardápio e tomou uma decisão outrora impensada: resolveu degustar todas as doçuras que o restaurante oferecia. Desde pudim de leite até o brigadeirão, passando pelos sorvetes e pelas pizzas doces de todas as cores, aromas e sabores. Nada passou ileso pelo extasiado paladar do atormentado cidadão.

Uma semana depois, poucos minutos o separavam de seu dia derradeiro. Só que, diferentemente do que vinha ocorrendo, Antero não passou pela tão temida mutação. Nesse momento, ele se deu conta que os doces do Mr. Lenha haviam adocicado sua alma. Agradecido, decidiu que distribuiria guloseimas para a garotada em todo Dia das Bruxas e jamais deixaria de passar uma única semana sem saborear as poderosas sobremesas do Mr. Lenha.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Santa degustação!


O que seriam de nossas papilas gustativas sem a saborosa pizza? Nossos agradecimentos aos seus criadores, os egípcios, e vida eterna à Itália, que a aperfeiçoou e difundiu sua deliciosa fama pelo planeta.

Por onde passa, a redonda deixa uma legião de admiradores que, além de manter viva o que nela há de mais tradicional, não para de dar à luz a novas combinações. Versões light, exótica, doce, vegetariana dentre tantas outras variedades, cada uma mais sedutora que a outra.       

Com água na boca, você deve estar pensando: como eu gostaria de me deleitar com vários desses sabores!

Pois bem! Se você nunca experimentou essa sensação e vive sonhando acordado, seus problemas acabaram! O Mr. Lenha transformou a utopia em realidade e abriu alas para a Degustação de Pizzas.  Uma indescritível viagem ao êxtase gastronômico que ocorre sempre de terça a quinta e aos domingos de feriados, a partir das 18h.

A Degustação de Pizzas consiste em 15 sabores exclusivos por um preço único. É para degustar quantas pizzas desejar. Detalhe: tudo preparado na hora pelo pizzaiolo, especificamente para cada mesa. Não se trata de rodízio. Você solicita os sabores desejados diretamente ao garçom. E, se preferir, a casa prepara uma sequência especial para a sua mesa. A pizza para a degustação é montada sobre uma massa fininha, bem mais leve, e o recheio vem em porções reduzidas para que você possa experimentar a maior variedade de sabores.

Conheça os sabores e deguste à vontade:

- Mediterrânea
Molho de tomate, conserva de berinjela, abobrinha e pimentão vermelho no azeite extra virgem coberta com parmesão e rúcula.

- Al Capone
Molho de tomate, mozarela, peperoni e orégano.   

- Champignon
Molho de tomate, champignon ao alho e óleo e rúcula.

- Marguta
Molho de tomate, mozarela, peito de peru defumado, legítimo catupiry e alho poró.  

- Genova
Molho de tomate, mozarela, palmito, tomate seco e manjericão.

- Escarola
Molho de tomate, mozarela, calabresa, escarola no azeite e alho e orégano.

- Catupiry Especial
Molho de tomate, mozarela, legítimo catupiry, presunto, ovo e manjericão.

- Alho
Molho de tomate, mozarela e alho torrado.

- Toscana
Molho de tomate, mozarela, calabresa moída e catupiry.

- Zuchine
Molho de tomate, mozarela e fatias de abobrinha no azeite extra virgem e alho cobertas com parmesão.

- Canadense
Molho de tomate, mozarela, lombo canadense, cebola, azeitona preta e manjericão.

- Tonno
Molho de tomate, mozarela, atum, farelos de gorgonzola e orégano.

- Banana
Com ou sem mozarela, banana e canela com açúcar.

- Banana com chocolate
Com ou sem mozarela, rodelas de banana e calda de chocolate.

- Goiabada com requeijão
Com ou sem mozarela, goiabada com legítimo catupiry.

* De terça a quinta, exceto feriados, R$20,90 e aos domingos, R$ 25,90.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Um passeio por Puglia

Regione che dà orgoglio 


O cruzeiro do Mr. Lenha por terras italianas desembarca hoje num paraíso esculpido ao sul do país, a região de Puglia, o famoso “salto” da Velha Bota. Suas terras são cortadas por montanhas, bosques e colinas, tudo cercado pelos límpidos mares Jônico e Adriático.

Na comuna de Bari, capital de Puglia, os habitantes têm tanto orgulho da beleza local que dizem: “Se Paris tivesse mar, seria uma pequena Bari”. Isso mostra todo o amor pela terra natal aliado ao senso de humor típico da região. A mescla bem sucedida da modernidade com a cultura de raízes antigas, a transformou em um dos principais centros econômicos da Itália.

Passeando por suas províncias e contemplando cada recanto descoberto em suas comunas, vamos além do encantamento provocado por sua exuberância e nos deparamos com uma história riquíssima. Ao longo dos séculos, um repertório de povos habitou seu território e o presenteou com uma diversidade majestosa. As cidades possuem fortes heranças artísticas, além das deslumbrantes arquiteturas barrocas expostas nas igrejas e de traços romanos presentes em rústicas construções tipicamente medievais.

E já que falamos das artes, vamos entrar na artística cozinha pugliese e nos envolver com o fascinante leque culinário que ultrapassa o limite do apetite. A gastronomia da região é feita basicamente do que nasce em suas terras somado ao que se pesca no mar.

A culinária se baseia em quatros saborosos pilares, responsáveis pelo aroma, ingrediente e tradição: azeite, trigo, verduras e hortaliças. Ingredientes como brócolis, couve, rúcula, chicória e berinjela recebem os frutos do mar como ostras, mexilhões e peixes variados que incrementam ainda mais a apetitosa gastronomia. As oliveiras nascem ricas em frutos, contemplados pelo forte Sol, brisas suaves e solo fértil. As azeitonas são carnudas e deliciosas, perfeitas matérias-primas de azeites densos, dourados e saborosos. Já os grãos são utilizados na preparação dos pães macios e gostosos.

E claro que o Mr. Lenha soube extrair detalhes deliciosos da cozinha pugliese e montou um antepasto de dar água na boca. Experimente o nosso antepasto preparado com três acompanhamentos: o tapenade, com azeitona preta, aliche, alho, azeite e limão siciliano; a conserva de berinjela, com pimentão vermelho e pimenta do reino; e a pasta de atum com salsa e cebolinha. Todos servidos com uma deliciosa focaccia salpicada de alecrim.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A história curiosa do restaurante


Restaurante é um espaço de confraternização, onde as pessoas se reúnem para bater papo, encontrar amigos, fechar negócios e se satisfazerem entre pratos e bebidas. Para impressionar os clientes, investe-se pesado em ambientes acolhedores e principalmente sedutores para que a experiência seja a mais agradável possível. Mas poucos sabem – acho que ninguém – que a origem da palavra restaurante não tem nada a ver com o glamour ostentado por esses estabelecimentos mundo afora.

Pois bem, o Mr. Lenha aterrissou em território francês para viajar na história desse vocábulo e trouxe uma história para lá de curiosa: até meados do século XVIII, a palavra restaurant, em francês, queria dizer “fortificante”. Tratava-se de um caldo com carnes, legumes e ervas, utilizado para recobrar as forças dos trabalhadores.

Por volta de 1765, um senhor parisiense, chamado Boulanger, colocou uma placa, em frente ao seu botequim, com os seguintes dizeres: "Boulanger vende restaurantes divinos". Locais como esse foram apelidados então, pelos franceses, de “casas de saúde”.

O hábito de se consumir alimento nesse tipo de estabelecimento só aconteceu a partir de 1786. E graças à Revolução Francesa, ocorrida em 1789, os restaurantes ganharam força e prestígio, herdando os cozinheiros e os serviçais da nobreza, que havia sido expulsa do poder. Com o tempo, o leque de opções no cardápio aumentou e os cenários para degustação ganharam toques de requinte e sofisticação.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Criatividade tupiniquim


Cada país possui uma cultura que o define como sociedade. As pessoas carregam as diferenças na língua, no pensamento e na atitude e tudo isso se reflete diretamente na gastronomia. E esse é sempre o assunto mais gostoso em pauta!

Algumas receitas se destacam no cenário mundial e carregam na bagagem um pedaço de cada país. Quando pensamos na gastronomia de um determinado país, um prato típico sempre nos vem à cabeça.

No Brasil, a feijoada nos deixa bem na fita no cenário gastronômico mundial. Os franceses apostam no requintado escargot. Os Estados Unidos trazem o calórico hambúrguer. O saboroso churrasco representa bem a Argentina. Os mexicanos trazem os crocantes nachos. O Japão expressa toda a disciplina na montagem do delicado sushi. A Espanha faz uma apetitosa mistura na paella. Os portugueses vão ao mar buscar o bacalhau. Os alemães apreciam o chucrute. O ceviche é o chamariz da cozinha peruana. E na Itália nem precisamos dizer que, entre as massas, a pizza reina absoluta!

Nós, brasileiros e amantes assumidos da boa culinária, somos conhecidos como um povo hospitaleiro, alegre, malandro e criativo. Ostentamos, com merecimento e orgulho, tais características e transmitimos para cada tudo o que fazemos. E é lógico que todo esse jogo de cintura tupiniquim também entra em campo quando o assunto vai para a cozinha. Fazemos das receitas um laboratório saboroso para as mais apetitosas criações.

Aqui, no Mr. Lenha, por exemplo, as pizzas ganham versões magníficas. Nossas massas artesanais, de superfície crocante e interior macio, recebem as mais deliciosas coberturas.

Que tal a pizza rústica? Ela traz a gratificante combinação do presunto Parma com o queijo Grana Padano, de textura lisa, sabor fresco e frutado. A rúcula completa a perfeita harmonia entre os ingredientes. Outra criação nossa é a fascinante pizza Pompéia, que leva um delirante molho de tomate, uma farta camada de mozarela, camarões graúdos no azeite, azeitonas pretas, rúculas frescas ao centro e parmesão ralado.

Então, ficamos combinados: nós inventamos as mais maravilhosas pizzas e você fica incumbido de saboreá-las!